Eric Berwanger – RS

zzzzzzimagel

Oi, meu nome é Eliana e tenho um filho chamado Eric que é portador da Síndrome de Williams. Moramos em Osório – RS (2004), há dois meses.

O Eric nasceu em 23/10/1998 em São Jerônimo – RS, de parto normal e prematuro de 33 semanas. Por conta disto , ficou 34 dias no hospital até poder respirar sozinho e ganhar peso. No hospital descobriram que ele tinha uma cardiopatia e então, quando ele teve alta, me encaminharam para o Instituto de Cardiologia de Porto Alegre, onde a cardiologista me alertou de que ele podia ter alguma síndrome, e que, pela experiência dela, era Síndrome de Williams.

Então me encaminharam ao Hospital de Clínicas de Porto Alegre onde fizemos o exame de DNA para confirmar.
O primeiro ano de vida do Eric foi bem difícil. Ele chorava muito, mas muito mesmo, não mamava direito, chegou a 1 ano de idade com 8 quilos. Tudo foi um pouco mais atrasado. Ele começou a andar com 2 anos e falar com 3 anos (hoje fala pelos cotovelos). Começou a freqüentar a APAE com 9 meses, fazia estimulação precoce com a Valéria (Terapeuta Ocupacional), o que ajudou bastante no desenvolvimento motor.

Aos três anos começou a freqüentar a escola no Jardim I (Escola Cenecista Carlos Maximiliano, o MAX), onde fez muitos amigos e era muito amado por todos (agradeço aos professores, funcionários e alunos pelo carinho e cuidado com o Eric), não deixando de ir à APAE, quando começou a ter acompanhamento com uma psicóloga e uma fonoaudióloga. Com 5 anos nós conhecemos a Sônia (psicóloga) e a Elsa (reeducadora infantil) que não posso deixar de citar, pois são iluminadas.
Também não pode faltar na história do Eric as pessoas mais importantes das nossas vidas, a vó Cirina e o vô Hélio (meus pais queridos) que criaram ele junto comigo e ajudam muito até hoje.

Hoje (27/12/2004), com 6 anos, o Eric freqüenta o Jardim B da Escola Algodão Doce, aqui em Osório, onde conheceu o Rafael Trespach, seu coleguinha, que também tem SW e já é o melhor amigo dele. Continua com acompanhamento psicológico, agora com a Dra. Tâmara, que também é uma excelente pessoa. Ano que vem vai continuar no Jardim B, pois ainda não tem condições de ir para a 1ª série.

Eliana Berwanger Amador